Início

Informações sobre o primeiro semestre letivo de 2016

* Início das aulas: 8 de março (Economia Matemática) e 25 de abril (demais)

* Excepcionalmente. terão início na primeira semana de maio as aulas de Tópicos Especiais em Economia do Trabalho - Prof. Fernando Mattos

 * Disciplinas oferecidas no primeiro semestre de 2016 no PPGE/UFF:

Relação de disciplinas (programas disponíveis)

* Horários das aulas

* Brief description of courses taught in English in 2016 at UFF (including those offered at PPGE): First semester (April 25th - September 6th) / Second semester (September 26th - February 7th 2017)  

* Inscrições abertas exclusivamente para alunos externos (ouvintes e especiais):

https://docs.google.com/forms/d/1oefw7jmh7ivQWJU7YXyFOfVwiPEAmhUKy-Vs1F7sTB4/viewform

* Trancamentos e cancelamentos de disciplina: 25 de abril a 7 de maio (Cada aluno poderá cancelar somente uma disciplina e inscrever-se em uma nova disciplina se assim o desejar.)

 

Defesa de dissertação de mestrado

Candidato: Guilherme Szczerbacki Besserman Vianna

Título: A relação entre mobilidade urbana e bem-estar social através da abordagem das capacitações.

Data: 2 de maio de 2016, às 15h - sala 522

Banca examinadora:

Danielle Carusi Machado (UFF - Orientador)

Emmanoel Boff (UFF)

Carlos Eduardo Frickmann Young (UFRJ)

Resumo: O objetivo deste trabalho é discutir a relação entre a mobilidade urbana e o bem-estar social no Brasil. Para tanto, com base na abordagem das capacitações, de Amartya Sen, classificou-se como “privações” os problemas gerados pela imobilidade urbana. Análises sobre tempos médios de deslocamento, no total do Brasil e em diversas áreas metropolitanas, foram realizadas a partir de cálculos baseados em dados da PNAD, do período entre 1992 e 2014. Para o período entre 2001 e 2014, a análise foi complementada com estatísticas baseadas por decil de renda, e, para o período entre 2002 e 2014, com a evolução da frota de automóveis em cada local. Os resultados mostram pioras nos tempos de deslocamento em todo o país, principalmente após o ano de 2004, e especialmente nas metrópoles das regiões Norte e Nordeste. Percebe-se também uma substituição de automóveis por motocicletas, como consequência da piora no deslocamento. Adicionalmente, estimou-se o percentual do PIB perdido em função do tempo de deslocamento, para cada área de estudo, entre 2001 e 2012, e mostrou-se o quanto são significativas. Por fim, através do uso de funções de correlação, revelou-se que há relações entre o percentual do PIB perdido com mobilidade urbana e o IFDM (Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal), seus diferentes fatores e o PIB per capita, permitindo a realização de uma regressão capaz de mostrar que o percentual do PIB perdido afeta o IFDM quatro anos após sua observação.

Próximo seminário

5 de maio de 2016 - Excepcionalmente às 11hs - André Nassif (BNDES e UFF) 

Título: A Reconstrução da Indústria Brasileira: A Conexão entre o Regime Macroeconômico e a Política Industrial

Debatedor: por definir.  

Artigo 1: O Marco Analítico

Artigo 2: Propostas para o Brasil

Resumos:

Artigo 1: Este artigo, de cunho eminentemente analítico, mostra que estratégias de reindustrialização em países em desenvolvimento que ainda não conseguiram alcançar a convergência econômica (catching up) com os países desenvolvidos requerem, da mesma forma que no processo de industrialização, uma estreita conexão entre o regime macroeconômico e a política industrial. No âmbito da política macroeconômica, é necessária consistência entre as políticas monetária, fiscal, cambial e salarial para viabilizar taxas de juros reais médias inferiores às taxas de retorno médias sobre o capital, taxas de câmbio reais competitivas (isto é, subvalorizadas em torno da taxa de “equilíbrio industrial”) e taxas de salários que evoluam de acordo com o crescimento da produtividade, condições para que se assegure o crescimento econômico sobre bases sustentáveis. Já com respeito à política industrial, é preciso perseguir estratégias de diversificação produtiva, notadamente no setor manufatureiro e nos segmentos tradable do setor de serviços, mediante a identificação de prioridades estratégicas tanto nas cadeias produtivas, segmentos e setores próximos à base de vantagem comparativa preexistente, como naqueles mais próximos à fronteira tecnológica internacional. Embora os argumentos analíticos favoreçam a estratégia de diversificação produtiva em países que não conseguiram completar o catching up, esta não deve ser confundida com semi-autarquia, o que significa que as cadeias, segmentos e setores que não sejam foco da política industrial devem ter alíquotas de importação zero ou próximas de zero

Artigo 2: Embora o Brasil tenha conseguido avançar no processo de industrialização, diversos indicadores de desindustrialização prematura comprovam que o país ainda está bastante distante da convergência econômica (catching up) com os países desenvolvidos. O objetivo do trabalho é apontar estratégias que direcionem a economia para o processo de reindustrialização e catching up. Nosso argumento principal é que essas estratégias requerem uma estreita conexão entre o regime macroeconômico e a política industrial. No âmbito do regime macroeconômico, propõe-se uma maior consistência entre as políticas monetária, fiscal, cambial e salarial, com o propósito não apenas de criar as condições para a retomada do crescimento econômico sobre bases sustentáveis, mas também de viabilizar taxas de juros reais médias inferiores às taxas de retorno médias sobre o capital, taxas de câmbio reais competitivas (isto é, subvalorizadas em torno da taxa de “equilíbrio industrial”) e taxas de salários que evoluam de acordo com o crescimento da produtividade. Já com respeito à política industrial, indicamos, com as devidas justificativas, cinco focos prioritários estratégicos para a reindustrialização e o catching up: i) infraestrutura física & humana e inovação; ii) novas cadeias produtivas a partir da base de vantagem comparativa preexistente; iii) novas cadeias produtivas em segmentos mais próximos da fronteira tecnológica internacional; iv) novas atividades nos segmentos tradable do setor de serviços; e v) exportações. Embora o trabalho recomende que o Brasil resista à tentação de adesão fácil às “cadeias globais de valor”, recomenda-se, no entanto, a revisão da atual estrutura de proteção das importações, visando a diminuir as alíquotas de alguns bens intermediários (mas não uma redução linear de todas as alíquotas), bem como o elevado grau de proteção efetiva de alguns setores. 

  

Base de dados Passport - Euromonitor

* Treinamento de uso da base de dados "Passport - Category Level", da Euromonitor na sala de informática do PPGE. 

* Nova data será agendada em breve.

Informações sobre a empresa e a base de dados

Manual de uso da base

* Para dúvidas e treinamento individual, escrever a Mariana Lovett:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

* Acesso disponível aos alunos nos computadores da sala de informática do PPGE.

 * Pedimos a todos os participantes do treinamento realizado no dia 2 de dezembro de 2015 que nos ajudem a disseminar as informações obtidas no treinamento entre colegas (professores e alunos)

 



Admissão de alunos regulares, intercambistas e pesquisadores

* Step-by-step procedures for an exchange student planning to study at PPGE.

* Estágio pós-doutoral sem bolsa. Inscrições encerradas. EditalFicha de inscrição

Doutorado. Resultado final do processo seletivo: clique aqui.  

Mestrado. Resultado final: clique aqui.

* Não-residentes no Brasil: resultado final da seleção.